25 de fevereiro de 2010

Afinal, o que é ser boa mãe?

Nos últimos dias, tenho me feito muito essa pergunta: qual regra seguir? qual o modelo ideal da boa mãe?
Confesso que ás vezes, me vejo questionando minhas atitudes, meus pensamentos, será que nasci pra ser mãe, estou fazendo certo, estou fazendo o melhor para o meu pequeno? Tenho impressão ás vezes de estar fazendo tudo errado, de estar trocando os pés pelas mãos, de não estar me doando o suficiente como ele merece e necessita.
Esperei muito sua chegada.
Deixei de existir MULHER, para ser a MÃE,  e será que já estou falhando????????
Queria não importar se estou sendo uma mãe certa ou errada, mas estou lutando e batalhando todos os dias para dar o melhor pra ele.
O difícil está sendo educá-lo, ele escorrega por entre os meus dedos, parece que não me ouve, não me obedece, onde estou errando, onde esta minha falha, talvez foi excesso de mimos, amor e carinho ás vezes tb em excesso fazem mal.
Eu amo ser mãe. . .levantar as 6:00 da manhã, fazendo sol, chuva ou frio só pra levá-lo para escola, me alegra  fazer algo gostoso que ele tanto gosta, fico triste quando vejo a casa vazia sem ele ao meu redor.
mas também preciso de tempo pra mim, também preciso cuidar de mim, canso, choro, sofro,  afinal sou humana, preciso aprender a cuidar mais de mim. Alguns devem perguntam e o pai....tenho pouca participação paterna, por isso ás vezes me sinto tão sobrecarregada.

Tenho me questionado muito, me cobrado muito, me policiado muito.
Fico vigiando minhas atitudes, e vejo que algumas vezes tomo atitudes que não deveria, mas ando nervosa, estressada, desanimada pra falar a verdade, sei que ele não tem culpa.
Talvez o que eu esteja sentindo seja medo. Tudo que é novo assusta e sentir medo do desconhecido é absolutamente normal.
Otávio, fez 6 anos, foi para o 1o ano do fundamental, para ele e pra mim, está sendo tudo novo, acho que o fato tb de estar longe da familia, morando em outra cidade me fragiliza um pouco.
Sei que tenho lutar com todas as minhas forças, ter garra, persistência e coragem que vou superar tudo isso,  e sei que vou....


 



Um comentário:

Simone Aline disse...

Nossa Flávia, essa é uma pergunta difícil mesmo... E acho que o instinto materno é de superproteção mesmo... e se a gente não se policiar, acaba perdendo o controle. Acho que por isso hoje em dia a gente vê "filhos mandando no pais", quando deveria acontecer o inverso. Acho que a gente deve ser uma "super mãe" pros filhos, não pros outros, mesmo que eles próprios só entendam isso quando crescerem... Quando a gente cresce a gente entende que muita coisa os pais fizeram (ou deixaram de fazer) por amor, apenas isso... E o amor é a melhor coisa que alguém pode nos dar. Amor de mãe então, nada é igual. Eu também tenho esse lado maternal aflorado. Gosto de acordar cedo, cuidar de tudo. Não via a hora de parar de trabalhar fora para me dedicar a isso... Mas não se descuida como mulher não, conselho de amiga! Mantenha-se linda pra vc, pra se olhar no espelho e dizer: lindaaaa!!! rsrs Eu já tive momentos mais "desanimados" (acima do peso... sem tempo ou disposição, por cansaço mesmo...). Mas a gente não pode... Tem que achar alguma coisa pra dar um ânimo, um empurrão!!! Adorei seu blog também! Bjks

Ofertas! Brandsclub

Amo muito isso!!!

Ofertas Bondfaro e Buscapé!!!!

Related Posts with Thumbnails