1 de abril de 2013

Como posso descobrir a minha missão no mundo?

Como posso descobrir a minha missão no mundo?

Sabemos que o espiritismo não é representado por uma pessoa, mas cada um, através de seus esforços próprios tenta passar adiante seus conhecimentos aos seus semelhantes. Na condição de amigo e não na de porta voz da doutrina do Cristo, vou tentar lhe explicar, a luz do meu entendimento como espírita e referências em algumas obras, uma questão levantada por companheira de ideal religioso.

Como posso descobrir a minha missão no mundo?

Eu vejo que essa é uma dúvida muito comum entre os espíritas. Muitos palestrantes nos dizem que temos uma missão, e logo nos inquietamos tentando descobrir qual a nossa. Olhamos para nossa vida, não vemos acontecimentos importantes e ficamos na expectativa que um médium venha nos dizer, por revelação espiritual, qual a missão que nos compete. Na verdade, isso geralmente não acontece.
Madre Tereza de Calcutá era uma professora do colégio de freiras onde trabalhou por vinte anos, exercendo sua atividade comum, mas certamente esperando algo mais de si mesma, quando um dia ao realizar uma viagem de trem viu um pobre homem caído, que não conseguia se mover chamando-a com a mão. Ao se aproximar do homem, pode ouvi-lo lhe dizer:

_ “Tenho sede”.
Voltando para o convento ela reparou em uma estátua do Mestre de Nazaré na cruz. Abaixo da estátua havia uma frase:
_ “Tenho sede”.
Pela primeira vez ela percebeu que há dois mil anos Aquele homem tinha sede e lhe pedia auxílio através dos necessitados de toda ordem, e em Calcutá eles eram abundantes.
Embora existam verdadeiros missionários do Cristo na terra, a maioria de nós não tem propriamente dizendo missões, nesse grau da de Madre Tereza, Gandhi, Kardec, Chico Xavier: e tantos outros. A maioria de nós possui missões bastante dignas, mas de menor expressão para a sociedade como um todo. Vou explicar melhor mais abaixo, primeiramente, veja essa resposta dada a Kardec pelos espíritos quando responderam a questão 132 do Livro dos Espíritos.

132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?
“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão(…)”

No segundo livro de André Luiz, Os Mensageiros, em um capítulo reservado as experiências de espíritos que não completaram sua missão devidamente, vimos que muitos tinham missão junto a instituições espíritas, geralmente como médiuns ou doutrinadores, outros palestrantes ou tarefeiros.
Entre as missões de cada um existiam missões particulares, como auxiliar o reerguimento de um filho, de irmãos ou pessoa próxima.A maioria deles possuía também resgates a serem feitos, devido a débitos contraídos no passado, ou seja, a encarnação tinha um duplo sentido, missão e expiação ao mesmo tempo.

Mas quero chamar a atenção para a primeira frase da resposta:
“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição.(…)”

O nosso verdadeiro objetivo como seres encarnados é a busca da perfeição, sendo assim, tudo o que façamos que concorra para auxiliar-nos a atingir esse objetivo, representa para nós uma atividade rumo ao cumprimento de nossa verdadeira missão.


Genericamente, a missão de cada um de nós e atingir a nossa perfeição.

Voltando ao ponto em que disse que possuímos, alguns de nós, missão muito digna mais sem maior relevo para sociedade, lembremo-nos que, o espírito de Lívia, mulher do senador Públio Lentulus do livro Há 2000 anos, era um espírito altamente evoluído, não realizou grandes obras, não se envolveu com a política, foi simplesmente mulher do senador, mas objetivava na verdade resgatar o espírito embrutecido de seu marido para Jesus, e conseguiu e ele se tornou Emmanuel que dispensa comentários.
Essa mesma situação se repete nos outros romances de Emmanuel. Em 50 Anos Depois, Célia vem auxiliar no reerguimento de seu amado, mas não deixou de deixar sua marca, como acontece comumente com esses elevados espíritos que vêem a Terra. Célia negou-se a si mesma, viveu como pobre embora filha de nobre, com identidade trocada em favor de sua genitora.

Podemos, porém, ser mais específicos. Stephen Covey, um autor americano que escreve sobre o auto gerenciamento nos deixou um exercício fascinante que nos ajuda a identificar nossa missão.
Exercício


Imagine-se num caixão, sendo carregado em seu funeral, sendo acompanhado por diversas pessoas, entre os quais estão os familiares, os amigos, os colegas de trabalho e os religiosos de sua crença.
Imagine diversas pessoas desses grupos. Imagine que em cada grupo exista um orador que irá fazer um discurso sobre você.
Família, amigos, trabalho e religião.
Que tipo de pessoa você gostaria que cada orador tivesse descrito? Quais as contribui
ções e conquistas você gostaria de ver recordadas.
Olhe para cada pessoa a sua volta. Qual papel gostaria de ter desempenhado na vida delas?
Basicamente, as respostas que obtiver são a descrição da sua missão.

Além do que foi dito acima, outro ponto deve ser lembrado.
Mesmo que um homem não tenha vindo ao mundo com uma missão, ele poderá se erguer e começar um empreendimento em benefício do próximo, e não faltarão espíritos bem feitores a lhe auxiliar. Conforme esse homem demonstre capacidade de servir, mais e mais serviços lhes serão conferidos.

Não é difícil compreender essa idéia, sabemos que são poucos aqueles encarnados com quem a espiritualidade superior pode contar, assim sendo, quando alguém demonstra que é digno da confiança superior, quando o trabalhador está pronto, o serviço aparece.

FONTE: EspiritismoBR

 Sabemos que o espiritismo não é representado por uma pessoa, mas cada um, através de seus esforços próprios tenta... passar adiante seus conhecimentos aos seus semelhantes. Na condição de amigo e não na de porta voz da doutrina do Cristo, vou tentar lhe explicar, a luz do meu entendimento como espírita e referências em algumas obras, uma questão levantada por companheira de ideal religioso.

Como posso descobrir a minha missão no mundo?

Eu vejo que essa é uma dúvida muito comum entre os espíritas. Muitos palestrantes nos dizem que temos uma missão, e logo nos inquietamos tentando descobrir qual a nossa. Olhamos para nossa vida, não vemos acontecimentos importantes e ficamos na expectativa que um médium venha nos dizer, por revelação espiritual, qual a missão que nos compete. Na verdade, isso geralmente não acontece.
Madre Tereza de Calcutá era uma professora do colégio de freiras onde trabalhou por vinte anos, exercendo sua atividade comum, mas certamente esperando algo mais de si mesma, quando um dia ao realizar uma viagem de trem viu um pobre homem caído, que não conseguia se mover chamando-a com a mão. Ao se aproximar do homem, pode ouvi-lo lhe dizer:

_ “Tenho sede”.
Voltando para o convento ela reparou em uma estátua do Mestre de Nazaré na cruz. Abaixo da estátua havia uma frase:
_ “Tenho sede”.
Pela primeira vez ela percebeu que há dois mil anos Aquele homem tinha sede e lhe pedia auxílio através dos necessitados de toda ordem, e em Calcutá eles eram abundantes.
Embora existam verdadeiros missionários do Cristo na terra, a maioria de nós não tem propriamente dizendo missões, nesse grau da de Madre Tereza, Gandhi, Kardec, Chico Xavier: e tantos outros. A maioria de nós possui missões bastante dignas, mas de menor expressão para a sociedade como um todo. Vou explicar melhor mais abaixo, primeiramente, veja essa resposta dada a Kardec pelos espíritos quando responderam a questão 132 do Livro dos Espíritos.

132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?
“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão(…)”

No segundo livro de André Luiz, Os Mensageiros, em um capítulo reservado as experiências de espíritos que não completaram sua missão devidamente, vimos que muitos tinham missão junto a instituições espíritas, geralmente como médiuns ou doutrinadores, outros palestrantes ou tarefeiros.
Entre as missões de cada um existiam missões particulares, como auxiliar o reerguimento de um filho, de irmãos ou pessoa próxima.A maioria deles possuía também resgates a serem feitos, devido a débitos contraídos no passado, ou seja, a encarnação tinha um duplo sentido, missão e expiação ao mesmo tempo.

Mas quero chamar a atenção para a primeira frase da resposta:
“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição.(…)”

O nosso verdadeiro objetivo como seres encarnados é a busca da perfeição, sendo assim, tudo o que façamos que concorra para auxiliar-nos a atingir esse objetivo, representa para nós uma atividade rumo ao cumprimento de nossa verdadeira missão.


Genericamente, a missão de cada um de nós e atingir a nossa perfeição.

Voltando ao ponto em que disse que possuímos, alguns de nós, missão muito digna mais sem maior relevo para sociedade, lembremo-nos que, o espírito de Lívia, mulher do senador Públio Lentulus do livro Há 2000 anos, era um espírito altamente evoluído, não realizou grandes obras, não se envolveu com a política, foi simplesmente mulher do senador, mas objetivava na verdade resgatar o espírito embrutecido de seu marido para Jesus, e conseguiu e ele se tornou Emmanuel que dispensa comentários.
Essa mesma situação se repete nos outros romances de Emmanuel. Em 50 Anos Depois, Célia vem auxiliar no reerguimento de seu amado, mas não deixou de deixar sua marca, como acontece comumente com esses elevados espíritos que vêem a Terra. Célia negou-se a si mesma, viveu como pobre embora filha de nobre, com identidade trocada em favor de sua genitora.

Podemos, porém, ser mais específicos. Stephen Covey, um autor americano que escreve sobre o auto gerenciamento nos deixou um exercício fascinante que nos ajuda a identificar nossa missão.
Exercício


Imagine-se num caixão, sendo carregado em seu funeral, sendo acompanhado por diversas pessoas, entre os quais estão os familiares, os amigos, os colegas de trabalho e os religiosos de sua crença.
Imagine diversas pessoas desses grupos. Imagine que em cada grupo exista um orador que irá fazer um discurso sobre você.
Família, amigos, trabalho e religião.
Que tipo de pessoa você gostaria que cada orador tivesse descrito? Quais as contribui
ções e conquistas você gostaria de ver recordadas.
Olhe para cada pessoa a sua volta. Qual papel gostaria de ter desempenhado na vida delas?
Basicamente, as respostas que obtiver são a descrição da sua missão.

Além do que foi dito acima, outro ponto deve ser lembrado.
Mesmo que um homem não tenha vindo ao mundo com uma missão, ele poderá se erguer e começar um empreendimento em benefício do próximo, e não faltarão espíritos bem feitores a lhe auxiliar. Conforme esse homem demonstre capacidade de servir, mais e mais serviços lhes serão conferidos.

Não é difícil compreender essa idéia, sabemos que são poucos aqueles encarnados com quem a espiritualidade superior pode contar, assim sendo, quando alguém demonstra que é digno da confiança superior, quando o trabalhador está pronto, o serviço aparece.

FONTE: EspiritismoBR

Nenhum comentário:

Ofertas! Brandsclub

Amo muito isso!!!

Ofertas Bondfaro e Buscapé!!!!

Related Posts with Thumbnails